E violência se combate com violência?

Decidi abrir o noticiário online da CNN. Em algum canto havia outra matéria sobre a nova proposta de Lei sobre posse de armas que está no Senado ( http://edition.cnn.com/2013/01/31/opinion/waldman-gun-women/index.html?iid=article_sidebar ). Há alguns dias atrás, eu assistia CNN na TV quando vi a “headline” novamente da nova lei. Na ocasião, a juíza Mrs. Gidfoords, baleada por um tiro na cabeça ano passado, participou com uma fala curta e admitiu que tinha dificuldade de ler seu rascunho (graças às sequelas do tiro). Todos no Senado estavam emocionados pela força e recuperação dela, enquanto ela afirmava assertivamente: precisamos mudar, o povo conta com vocês!

Não é difícil entender que a posição passada pela matéria era favorável à aprovação da Lei. Era um tremendo apelo emocional, acompanhado pelas histórias dos ataques ocorridos a escolas por pessoas perturbadas que decidiram simplesmente matar crianças para descarregar seu passado.

Agora, aqui estou lendo um artigo da mesma rede que já começa com um depoimento sobre a necessidade das mulheres portarem armas mais perigosas, caso precisem se defender. Se alguém lesse apenas os 3 primeiros parágrafos, teria a voz da desaprovação à Lei ecoando mais alto (confesso que quase desisti de ler a matéria toda, já que tenho muitas coisas para ler). Continuando a leitura, há estatísticas sobre o real uso das armas para defesa domiciliar. 1 de cada 1,5 milhão de armas foi usada para esse fim. Para finalizar, a trágica história de uma adolescente de 15 anos baleada nas costas num parque em Chicago que terminou em morte.

Balancear prioridades é difícil. A sensação de insegurança e de invasão à privacidade do sue próprio lar é quase suficiente para nos fazer perder a cabeça e tentar encontrar os métodos mais agressivos de proteção. Ninguém quer morrer, óbvio, todo mundo tem um instinto natural de preservar sua vida. Talvez seja um clichê isso. A triste verdade é que é utópico pensar em reverter essa violência consolidada na humanidade, são 6.012 anos de presença humana no mundo com um homicídio entre irmãos já no começo (“Disse, porém, Caim a seu irmão Abel: “Vamos para o campo”. Quando estavam lá, Caim atacou seu irmão Abel e o matou.” [Gn 4:8]). Só acho que violência não pode combater violência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s